Blockchain para além dos Bitcoins.

A tecnologia Blockchain vai muito além do Bitcoin e possibilita benefícios de segurança nas mais diversas aplicações.

E sabe por quê isto acontece?

Porque o Blockchain não trata de uma mudança pequena.

O Blockchain é muito mais que uma rede de pagamento.

Mas ao mesmo tempo é a maior transformação no princípio do dinheiro.

E o que é o dinheiro?

Nós o usamos todos os dias, a todo momento, mas não sabemos explicá-lo.

Tente explicar o que é o dinheiro para uma criança.

Ela vai logo te perguntar:

-Como podemos ter mais dinheiro?

-Quem faz o dinheiro?

-Do que ele é feito?

Agora vamos avançar alguns anos, onde nossos filhos terão que explicar aos seus filhos o que é o dinheiro.

E eles podem querer encurtar a história do dinheiro, e começar contando que “há muitos anos atrás, no ano de 2008, um sujeito de nome Satoshi Nakamoto reinventou a forma como transacionamos valor.

Convenientemente, alguns poderão dizer que ele inventou uma nova moeda ou uma nova rede de pagamentos.

Mas ele não pode ter inventado uma moeda: simplesmente porque o Bitcoin não é uma moeda.

Dizer que o Bitcoin é uma moeda, é como dizer que a internet é um e-mail.

Bitcoin não é o dinheiro da internet.

Bitcoin é a internet do dinheiro.

O Bitcoin é uma moeda de transformação social sobre todos os aspectos do dinheiro.

“Sim, é dinheiro para a internet, mas é muito mais. Bitcoin é a internet do dinheiro. A moeda é apenas a primeira aplicação. Se você entender isso, você poderá olhar para além do preço, para além da volatilidade, para além do modismo. Na sua essência, Bitcoin é uma tecnologia revolucionária que mudará o mundo para sempre.” – Andreas M. Antonopoulos em seu livro ‘A internet do dinheiro’ (2018)

O mercado financeiro é uma área sensível à adoção de novas tecnologias, principalmente as que garantem maior eficiência operacional e um maior índice de segurança nas transações.

Para tornar as operações financeiras online mais confiáveis, muitas tecnologias já foram testadas.

O blockchain surge como uma dessas tecnologias transformadoras, e mesmo tendo o seu desenvolvimento por muitas vezes atrelado ao Bitcoin, oferece outros benefícios para aplicações variadas.

Mas, afinal, o que é, e como surgiu o Blockchain?

O seu surgimento se confunde com o surgimento do Bitcoin – justamente por ser a tecnologia que dá a estrutura necessária para o funcionamento da criptomoeda.

O primeiro registro da tecnologia foi publicado num artigo acadêmico em 2008, por uma pessoa com o pseudônimo Satoshi Nakamoto.

O seu objetivo principal foi entregar mais confiança nas transações financeiras e prevenir o chamado gasto duplo de valores, levando todos esses conceitos para o mundo digital e fugindo da crise econômica mundial e a bolha imobiliária.

Já que no ambiente digital os dados podem ser alterados ou trocados, o blockchain surge principalmente para evitar que isso aconteça.

Em tradução livre, blockchain é uma corrente de blocos. O sistema é composto por duas partes: uma rede peer-to-peer (P2P) e um banco de dados descentralizado.

Esses blocos ficam ligados uns aos outros, onde cada um deles recebe um conjunto de informações, que são protegidas por uma camada de criptografia com códigos bastante complexos.

Toda vez que um bloco é concluído (após o registro das transações mais recentes), um novo é criado.

Na prática, o Blockchain é como um livro contábil, em que são registrados vários tipos de transações.

Como é descentralizado, as páginas desse livro contábil são armazenadas em bibliotecas localizadas em lugares distintos.

Ou seja, trata-se de um registro coletivo, em que os dados são distribuídos entre todos os computadores ligados à rede.

Como essas anotações são públicas e compartilhadas, podem ser verificadas a qualquer momento.

Apesar da transparência ser uma das principais qualidades do Blockchain, os dados de quem os opera ficam seguros, pois tudo é criptografado.

E cria-se, então, uma relação de confiança na comunicação direta entre as partes, o que elimina a necessidade de intermediários.

Porém, outras aplicações surgiram a partir da tecnologia, mostrando que o Blockchain vai muito além do Bitcoin:

O Blockchain nos direitos autorais: as pessoas que criam algo de valor querem que a sua propriedade intelectual esteja protegida mesmo num ambiente digital – e a tecnologia pode ser utilizada a este favor.

O Blockchain para o Supply Chain: o Walmart já utiliza do blockchain para realizar o rastreamento da sua cadeia de fornecedores e saber rapidamente caso haja algum problema ou falha.

O Blockchain como registro de identidade virtual: os dados individuais, como informações financeiras, de saúde, e até de educação e a privacidade dos dados seria um dos pontos fortes desse tipo de aplicação.

Governos e empresas já estão utilizando o Blockchain: o setor público tem transformado todo o sistema de forma mais democrática e segura e algumas empresas já estão utilizando o blockchain – como a CarbonX que opera coletando os créditos de carbono de pessoas comuns por meio de um token e pode trocar ou vender esses créditos como uma moeda virtual, dando um retorno financeiro as pessoas.

Para saber sobre outras formas de aplicabilidade desta revolucionária tecnologia, e como o seu negócio pode se beneficiar dela, na MeetHub você tem acesso aos maiores especialistas para te ajudar a desbravar esse universo.

E ai, #vemdemmet?